WTC7

.posts recentes

. Entre a espada e a parede

. Trabalho com precariedade

. Saindo da UE

. A rapina de Timor-Leste: ...

. Empresa de limpeza em Tel...

. De quem é o vírus Zika?

. Bem-vindos ao apartheid d...

. Adolescente americana ame...

. Perante o caos, o saque e...

. A canalhice final contra ...

. Atirá-los ao mar

. Pensar a violência

. O que queremos dizer quan...

. “Je Suis CIA”

. A Rússia invade a Ucrânia...


Tecnologia de FreeFind

.Arquivos


eXTReMe Tracker

.subscrever feeds

blogs SAPO
Terça-feira, 8 de Julho de 2008

Forças de Ocupação atacam aldeia de Ni'lin

Hoje é o terceiro dia de recolher obrigatório em Ni'lin, a oeste de Ramallah. Todas as estradas de acesso estão fechadas. Por volta das 11 da manhã de hoje, os habitantes quebraram o recolher obrigatório imposto pelas forças de ocupação. Encetaram confrontos e eles têm continuado até à noite.

17 ficaram feridos, 5 deles estão no hospital, e algumas dezenas estão com problemas respiratórios devido ao gás lacrimogéneo.

As forças de ocupação estão a atirar gás lacrimogéneo e granadas de alarme contra as casas. 5 casas foram atacadas e foi destruída mobília e material electrónico. 5 pessoas foram presas, outros espancados e detidos durante horas.

 

Cerco a Ni'lin, Cisjordânia 

Foram usadas escavadoras para criar montes de terra para bloquear o acesso a Ni'lin.

 

As pessoas de Ni'lin prevêem que o recolher obrigatório esteja para durar. As necessidades básicas da aldeia não podem ser mantidas durante mais do que três dias.

O povo organizou manifestações durante 50 dias, quase diariamente. Centenas de residentes impediram repetidamente a destruição dos seus campos para a construção do Muro do Apartheid, atacando a zona em construção e danificando equipamento. Só nos últimos 10 dias, 6 escavadoras, 2 veículos todo-o-terreno e uma carrinha foram danificados para que não pudessem continuar os trabalhos. As forças de ocupação estão determinadas em impedir que o modelo de luta popular de Ni'lin se espalhe pela Cisjordânia e a afogue em violência. Mesmo assim, a 9 de Julho, em 15 diferentes aldeias, as pessoas vão vir para as ruas e campos em protestos populares, exactamente como está a fazer Ni'lin.

 

Este ataque contra uma aldeia inteira mesmo antes de 9 de Julho, o quarto aniversário da decisão do Tribunal Internacional de Justiça de que o Muro tem de ser desmantelado, é emblemático. A inacção da comunidade internacional permite que a Ocupação continue os seus crimes.

Ni'lin, Cisjordânia

 

Texto da Campanha Popular Palestiniana Contra o Muro do Apartheid, publicado a 6 de Julho de 2008. Tradução de Alexandre Leite.

publicado por Alexandre Leite às 19:00
link do post | comentar | favorito
|

Todos os textos aqui publicados são traduções para português de originais noutras línguas. Deve ser consultado o texto original para confirmar a correcta tradução. Todos os artigos incluem a indicação da localização do texto original.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Crise Alimentar

A maior demonstração do falhanço histórico do modelo capitalista



Em solidariedade com a ACVC

Camponeses perseguidos na Colômbia

"Com a prosperidade dos agrocombustíveis, a terra e o trabalho do Sul estão outra vez a ser explorados para perpetuar os padrões de consumo injusto e insustentável do Norte"



Investigando o novo Imperialismo

↑ Grab this Headline Animator


.Vejam também:

Associação de Solidariedade com Euskal HerriaManifesto 74
Sara Ocidental Passa Palavra
XatooPimenta NegraO ComuneiroODiárioResistir.InfoPelo SocialismoPrimeira Linha
Menos Um CarroJornal Mudar de Vida
Blogue OndasBioterra





InI Facebook

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.