WTC7

.posts recentes

. Libertado um “pigmeu” bat...

. Paraíso

. Le Pen, Macron e o Fascis...

. Entre a espada e a parede

. Trabalho com precariedade

. Saindo da UE

. A rapina de Timor-Leste: ...

. Empresa de limpeza em Tel...

. De quem é o vírus Zika?

. Bem-vindos ao apartheid d...

. Adolescente americana ame...

. Perante o caos, o saque e...

. A canalhice final contra ...

. Atirá-los ao mar

. Pensar a violência


Tecnologia de FreeFind

.Arquivos

.subscrever feeds

blogs SAPO
Sábado, 27 de Setembro de 2008

Democracia imperial

Tiram-te a casa e ainda perdes o teu voto

 

A última em matéria de eliminação de eleitores acaba de ser inventada pelo imaginativo presidente do Partido Republicano do condado de Macomb, no Michigan: James Carabelli irá rever metodicamente as listas de casas reavidas pelos bancos e sociedades de crédito hipotecário, e ao identificar as que pertenceram a votantes democratas, tira-os de imediato do registo eleitoral.

 

O truque – último de uma longa lista de piruetas “democráticas” – foi confirmado ao jornal Michigan Messenger pelo próprio Carabelli: “Vamos obter as listas de casas reavidas e vamo-nos assegurar que ninguém que esteja inscrito nestas mordas possa votar”.

As leis do estado autorizam os partidos a terem oficiais encarregados de denunciar qualquer inscrição nas listas de eleitores e de exigir a eliminação de votantes sob o pretexto cínico de que deixaram de residir no condado, mesmo que seja apenas por uns dias por terem sido expulsos da sua residência contra a sua vontade pelos seus credores.

Michigan é um dos estados chamados “swing states”, os únicos cuja votação não é totalmente previsível e cujo peso em termos de Grandes Eleitores pode afectar o resultado final. E Macomb é igualmente um condado “swing” deste estado.

No meio da pior crise imobiliária vivida pelos norte-americanos, quando milhões de pessoas são expulsadas das suas casas ou ameaçadas de acabar na rua, a estratégia dos politiqueiros de Michigan é particularmente cruel. Como se não fosse suficiente perder tudo com a crise económica, trabalhadores enfrentando o desemprego e esmagados sob o peso das suas dívidas, vêem-se pisados por um sistema que não prendas a ninguém.

O caso de Macomb não e único. A técnica desenvolvida por Carabelli estende-se ferozmente a outras regiões, nestas últimas semanas de confronto dos democratas e republicanos, virtualmente empatados nas sondagens.

No Ohio, Doug Preisse, um membro do conselho eleitoral do condado de Franklin, confessou ao jornal Columbus Dispatch que o seu organismo está a estudar a possibilidade de aplicar no seu território o método Carabelli.

O Michigan Messenger assinala que tentar a eliminação sistemática dos eleitores inscritos em moradas onde deixaram de residir pela sua dívida hipotecária, poderia perturbar seriamente vários pontos de votação, tais como o condado de Wayne, em Detroit, onde 1.834 donos de casas foram retirados de sua casa… só no mês Julho!

No estado de Michigan, para o mesmo período, mais de 62.000 famílias tiveram que abandonar o seu local de residência.

Num estado “swing” o número de votantes representado por tantas quebras hipotecárias representa a diferença entre a vitória ou a derrota para os estrategas dos dois partidos que disputam a Casa Branca.

Entretanto a técnica do “vote caging” que permite tirar um eleitor do registo pela única razão de que não recebeu um aviso enviado pelo correio, continua a semear a controvérsia.

A Secretaria de Estado do Ohio, Jennifer Brunner, teve de admitir que esta estratégia teve efeitos desproporcionados nas comunidades pobres ou de minorias étnicas.

As irregularidades eleitorais são inúmeras no país que Hollywood converte em modelo de democracia. De acordo com as queixas expressas no final do escrutínio de 2004, cresceram então a supressão deliberada do voto em zonas disputadas, os votos alterados por urnas electrónicas “ébrias”, a anulação arbitrária de sufrágios, o cômputo manipulado dos resultados, o voto fraudulento por correio e inclusive o roubo de boletins.

 

Tudo indica que as eleições de 2008 não ficarão a dever nada, em termos de fraude, às anteriores.

 

Texto de Jean Guy Allard publicado na ABN a 22 de Setembro  de 2008. Traduzido por Alexandre Leite para a Informação Alternativa.

publicado por Alexandre Leite às 12:00
link do post | comentar | favorito
|

Todos os textos aqui publicados são traduções para português de originais noutras línguas. Deve ser consultado o texto original para confirmar a correcta tradução. Todos os artigos incluem a indicação da localização do texto original.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Crise Alimentar

A maior demonstração do falhanço histórico do modelo capitalista



Em solidariedade com a ACVC

Camponeses perseguidos na Colômbia

"Com a prosperidade dos agrocombustíveis, a terra e o trabalho do Sul estão outra vez a ser explorados para perpetuar os padrões de consumo injusto e insustentável do Norte"



Investigando o novo Imperialismo

↑ Grab this Headline Animator


.Vejam também:

Associação de Solidariedade com Euskal HerriaManifesto 74
Sara Ocidental Passa Palavra
XatooPimenta NegraO ComuneiroODiárioResistir.InfoPelo SocialismoPrimeira Linha
Menos Um CarroJornal Mudar de Vida
Blogue OndasBioterra





InI Facebook

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.