WTC7

.posts recentes

. Libertado um “pigmeu” bat...

. Paraíso

. Le Pen, Macron e o Fascis...

. Entre a espada e a parede

. Trabalho com precariedade

. Saindo da UE

. A rapina de Timor-Leste: ...

. Empresa de limpeza em Tel...

. De quem é o vírus Zika?

. Bem-vindos ao apartheid d...

. Adolescente americana ame...

. Perante o caos, o saque e...

. A canalhice final contra ...

. Atirá-los ao mar

. Pensar a violência


Tecnologia de FreeFind

.Arquivos

.subscrever feeds

blogs SAPO
Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

Madeira sim, Palestina não

Na última partida do Real Madrid disputada com o Villareal, que se saldou com um goleada de 6-2 a favor dos merengues, um dos jogadores mais caro da época, Cristiano Ronaldo, ao marcar, brindou-nos com uma camisola na qual se podia ler "MADEIRA". Trata-se de um acto de solidariedade com o povo deste arquipélago por causa das consequências que está a sofrer, fruto das intensas chuvas.

ronaldo madeira 

Ronaldo

 

Se fizermos um pouco de esforço de memória, recordaremos que na ida aos oitavos de final da Taça do Rei, do ano passado, 2009, no qual se enfrentavam a equipa sevilhana, o Sevilla F.C., e o Deportivo de A Coruña, quando Kanouté marcou o segundo golo da equipa sevilhana, este mostrou uma camisola negra com letras brancas na qual se podia ler "PALESTINA", em castelhano e em outros idiomas. Com este gesto, Kanouté, jogador avançado do Sevilla F. C, natural do Mali, queria mostrar a sua solidariedade para com o povo palestiniano perante as atrocidades de Israel.

 

A acção de Kanouté em campo foi catalogada de ‘publicista’ com matizes religiosas e políticas, custando-lhe um cartão amarelo.

 

Kanouté

 

Para além do cartão amarelo, Kanouté teve de pagar 3000 euros de multa pela mostra de solidariedade para com o povo palestiniano.

 

As sanções impostas a Kanouté enquadram-se nas Regulamentações da FIFA, norma de âmbito geral transcrita posteriormente para a normativa futebolística espanhola – mais concretamente na Regra 4 Relativa ao Equipamento dos Jogadores. Nela se estabelece no 1º parágrafo o seguinte:

 

Os jogadores não deverão mostrar camisolas interiores com lemas ou publicidades. O equipamento básico obrigatório não deverá ter mensagens políticas, religiosas ou pessoais.”

 

Sem ser especialista na matéria, vemos que se sancionou formalmente o avançado sevilhano com base em mensagens de índole religiosa. Mas se repararmos, alega-se igualmente a proibição de mensagens de índole pessoal. Será a actuação do extremo da equipa merengue de índole pessoal, sobretudo sabendo-se que ele nasceu na Madeira? Por que razão não recebeu sanções pela sua mostra de solidariedade?

 

Esconde-se por trás da sanção imposta a Kanouté algum empenho em calar vozes contrárias à posição do governo espanhol relativamente ao conflito israelo-palestiniano?


Texto de Edileny Tomé da Mata publciado em Rebelion.Org a 24 de Fevererio de 2010. Tradução de Alexandre Leite.

publicado por Alexandre Leite às 18:00
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Alexandre Leite a 24 de Fevereiro de 2010 às 19:37
"O Comité de Competição da Federação Espanhola de Futebol (RFEF) decidiu não punir Cristiano Ronaldo por ter levantado a camisola e mostrado uma mensagem alusiva à Madeira, depois de marcar o golo ante o Villarreal.

Segundo aquela entidade, a atitude do português é considerado um "gesto pacífico, de fraternidade e solidariedade".

"Interpreta-se a ação do jogador como uma expressão de solidariedade com os seus conterrâneos. A lamentável tragédia vivida pelos habitantes da Madeira, com pelo menos quarenta falecidos, levou o jogador a um ato consciente e deliberado de expressar a sua solidariedade, um gesto que teve ampla repercussão nos meios de comunicação social, dada a inegável relevância do jogador", pode ler-se na ata da Federação.

Recorde-se que este tipo de comportamento por parte de jogadores já foi punido anteriormente em Espanha. O mais recente foi Kanouté, do Sevilha, que exibiu uma mensagem de apoio à Palestina em janeiro de 2009, sendo multado."

Jornal Record (http://www.record.xl.pt/noticia.aspx?id=4d6aebe2-bfbc-49e7-a178-11cdbf39e864&idCanal=00000292-0000-0000-0000-000000000292)

Comentar post


Todos os textos aqui publicados são traduções para português de originais noutras línguas. Deve ser consultado o texto original para confirmar a correcta tradução. Todos os artigos incluem a indicação da localização do texto original.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Crise Alimentar

A maior demonstração do falhanço histórico do modelo capitalista



Em solidariedade com a ACVC

Camponeses perseguidos na Colômbia

"Com a prosperidade dos agrocombustíveis, a terra e o trabalho do Sul estão outra vez a ser explorados para perpetuar os padrões de consumo injusto e insustentável do Norte"



Investigando o novo Imperialismo

↑ Grab this Headline Animator


.Vejam também:

Associação de Solidariedade com Euskal HerriaManifesto 74
Sara Ocidental Passa Palavra
XatooPimenta NegraO ComuneiroODiárioResistir.InfoPelo SocialismoPrimeira Linha
Menos Um CarroJornal Mudar de Vida
Blogue OndasBioterra





InI Facebook

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.