.posts recentes

. A imprensa esconde o pape...

. Libertado um “pigmeu” bat...

. Paraíso

. Le Pen, Macron e o Fascis...

. Entre a espada e a parede

. Trabalho com precariedade

. Saindo da UE

. A rapina de Timor-Leste: ...

. Empresa de limpeza em Tel...

. De quem é o vírus Zika?

. Bem-vindos ao apartheid d...

. Adolescente americana ame...

. Perante o caos, o saque e...

. A canalhice final contra ...

. Atirá-los ao mar

.Arquivos

.subscrever feeds

blogs SAPO
Domingo, 13 de Julho de 2008

Protestos na Colômbia contra a privatização dos serviços públicos

O povo caucano protestou contra a privatização dos serviços públicos e contra o monopólio leiteiro

 Cauca, Colômbia

Localização do Distrito de Cauca, na Colômbia

 

A massiva jornada de protesto popular avançada, impulsionada e desenvolvida pelos utentes da electricidade nos municípios de Popayán, Piendamó e Caloto, e que contou com uma ampla participação de operários, estudantes, inquilinos e camponeses, foi uma contundente manifestação de rejeição popular às políticas de privatização dos serviços públicos. O inconformismo manifesto por parte da população caucana deve-se aos atropelos cometidos pela empresa responsável pelo fornecimento de energia contra os utentes e os aumentos impiedosos das tarifas que hoje deixam um sem número de cidadãos sem comer para pagar as facturas da energia.

Na cidade de Popayán, a manifestação percorreu as principais ruas para terminar em frente ao edifício administrativo de Cedelca, num acto político prático de mobilização popular.

Igualmente, a jornada de mobilização contou com uma ampla expressão de inconformidade a cargo dos vendedores de leite cru, que também são vítimas da arremetida governamental, que aniquila a economia popular, ao mesmo tempo que legisla a favor das multinacionais.

Popoyán, Colômbia,

Manifestação em Popayán.

Imagem retirada de http://www.popayanaldia.com/

 

No município de Caloto, os utentes dos serviços públicos e camponeses vieram para a estrada que faz a ligação a Palo e bloquearam-na durante várias horas. Da mesma forma, no município de Piendamó, a comunidade foi para a via Panamericana e, durante uma hora ou mais, impediu o trânsito protestando contra os maus tratos que têm vindo a receber por parte desta empresa de energia.

 

A jornada de protesto, repúdio e rejeição dos abusos e atropelos do actual operador privado de Cedelca, a ETA-Servicios, assim como a rejeição das altas tarifas da energia, foi enérgica; contundente e massiva. A participação massiva da população que com cartazes, faixas e com textos alusivos à problemática, deixaram em evidência o grau de organização e a força do movimento de utentes dos serviços públicos, que seguramente permitirá enfrentar o concessionário, que daqui a 50 dias tomará o controlo de Cedelca, por um período de 20 anos, prorrogáveis como todas as concessões da Lei 143 de 1994 a 50 anos.

 Manifestação em Popoyán, Colômbia

Manifestação em Popoyán.

Imagem retirada de http://www.popayanaldia.com/

 

A mesma política pública que está a privatizar a saúde, a educação, a universidade pública, as pensões; que ameaça privatizar a água e a natureza, é hoje aplicada pelo governo através das empresas de serviços públicos, numa continuação da sua estratégia de servilismo e submissão perante os poderosos e o grande capital, enquanto atropela e abusa do povo, empobrecendo-o cada vez mais, levando-o ao limite da miséria, aprofundando a pobreza na nossa região e obviamente na Colômbia.

 

 

Texto da autoria do Processo de Unidade Popular do Sudoeste Colombiano publicado na Prensa Rural a 9 de Julho de 2008. Tradução de Alexandre Leite para a Prensa Rural.

publicado por Alexandre Leite às 19:00
link do post | comentar | favorito

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.